Seguidores

segunda-feira, 29 de abril de 2013

Poderes

Enquanto os homens exercem
Seus podres poderes
Motos e fuscas avançam
Os sinais vermelhos
E perdem os verdes
Somos uns boçais...
Queria querer gritar
Setecentas mil vezes
Como são lindos
Como são lindos os burgueses
E os japoneses
Mas tudo é muito mais...
Será que nunca faremos
Senão confirmar
A incompetência
Da América católica
Que sempre precisará
De ridículos tiranos
Será, será, que será?
Que será, que será?
Será que esta
Minha estúpida retórica
Terá que soar
Terá que se ouvir
Por mais mil anos...
Enquanto os homens exercem
Seus podres poderes
Índios e padres e bichas
Negros e mulheres
E adolescentes
Fazem o carnaval...
Queria querer cantar
Afinado com eles
Silenciar em respeito
Ao seu transe num êxtase
Ser indecente
Mas tudo é muito mau...
Ou então cada paisano
E cada capataz
Com sua burrice fará
Jorrar sangue demais
Nos pantanais, nas cidades
Caatingas e nos gerais
Será que apenas
Os hermetismos pascoais
E os tons, os mil tons
Seus sons e seus dons geniais
Nos salvam, nos salvarão
Dessas trevas e nada mais...
Enquanto os homens exercem
Seus podres poderes
Morrer e matar de fome
De raiva e de sede
São tantas vezes
Gestos naturais...
Eu quero aproximar
O meu cantar vagabundo
Daqueles que velam
Pela alegria do mundo
Indo e mais fundo
Tins e bens e tais...
Será que nunca faremos
Senão confirmar
Na incompetência
Da América católica
Que sempre precisará
De ridículos tiranos
Será, será, que será?
Que será, que será?
Será que essa
Minha estúpida retórica
Terá que soar
Terá que se ouvir
Por mais mil anos...
Ou então cada paisano
E cada capataz
Com sua burrice fará
Jorrar sangue demais
Nos pantanais, nas cidades
Caatingas e nos gerais...
Será que apenas
Os hermetismos pascoais
E os tons, os mil tons
Seus sons e seus dons geniais
Nos salvam, nos salvarão
Dessas trevas e nada mais...
Enquanto os homens
Exercem seus podres poderes
Morrer e matar de fome
De raiva e de sede
São tantas vezes
Gestos naturais
Eu quero aproximar
O meu cantar vagabundo
Daqueles que velam
Pela alegria do mundo...
Indo mais fundo
Tins e bens e tais!
Indo mais fundo
Tins e bens e tais!
Indo mais fundo
Tins e bens e tais!
(Podres Poderes - Caetano Veloso)

Criatividade


sexta-feira, 26 de abril de 2013

quinta-feira, 18 de abril de 2013

Para Titia

Estas são algumas páginas que fiz em junho/2009 para dar de presente para uma de minhas tias que já não mora mais no Brasil  há alguns anos. Ela amou.







Desafio

Mexendo nos meus arquivos, encontrei esse trabalho que fiz em out/2009, fiquei pensando como o tempo passa tão rápido que a gente nem percebe.

Este trabalho foi um desafio proposto por uma amiga que trabalha com scrapbook a um tempo - Laudicéia Veloso, nós na época estávamos fazendo o curso de arteterapia e ela sendo conhecedora do mundo do scrapbooking, resolveu propôr a algumas de nossas colegas de grupo um desafio, que seria construir um álbum, nos teríamos que dar um título ao mesmo e explicar porque escolhemos aquele título, este mini-álbum seria dado a outra pessoa do grupo, para que pudesse compartilhar um pouquinho de si mesmo, e a cada semana este estaria nas mãos de um dos participantes, até que todos tivessem cumprido a sua trajetória, lembrando que ele só retornaria a mão de quem o fez se todos tivessem cumprido as etapas, foi uma experiência legal apesar de até hoje o meu não ter voltado para minhas mãos, sinto falta dele.





Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...